Quais são as principais doenças de inverno e como preveni-las?

doenças de inverno

Tosse, nariz entupido e dores de garganta são alguns incômodos que o frio costuma trazer. A estação mais fria do ano é também a que mais favorece a circulação de vírus e bactérias, já que com a temperatura mais baixa, o ar tende a ficar mais seco. Dessa forma, a tendência é que as pessoas fiquem em ambientes completamente fechados e, consequentemente, adoeçam com mais facilidade. Saiba a seguir, quais são as principais doenças de inverno e aprenda como preveni-las da melhor maneira.

Resfriado

Entre as doenças de inverno mais comuns, destacamos o resfriado. Apesar de ser bastante confundido com a gripe, é importante frisar que eles são diferentes. O resfriado é um tipo de infecção respiratória mais branda que a gripe causada por vírus do tipo rinovírus e adenovírus. Provocam sintomas como espirros, dor de garganta, febre baixa e coriza que duram, em média, uma semana, podendo se prolongar por até duas semanas. Analgésicos e antitérmicos são os tratamentos mais eficazes nesse caso.

Gripe

Causada pelo vírus do tipo influenza, a gripe é uma infecção das vias respiratórias superiores, como garganta e nariz. Os sintomas são bem-parecidos com os do resfriado, porém, conta com febre alta, fadiga, dores nos músculos e articulações. Quando não é tratada, pode provocar complicações ainda mais graves, como a pneumonia. Além de analgésicos e antitérmicos, o tratamento também inclui repouso e muita hidratação.

Pneumonia

A pneumonia, por sua vez, é uma inflamação e infecção das vias respiratórias que atinge os pulmões. É causada pela invasão de vírus, bactérias ou, até mesmo, fungos. Os sintomas mais comuns são tosses com secreções, febre branda de 38°C ou mais, e em casos mais severos pode causar falta de ar, respiração ofegante ou dificuldades para respirar. O tratamento da pneumonia é feito com orientação médica e incluem antibióticos e analgésicos, dependendo de cada diagnóstico. Nos casos mais graves, pode ser necessária a internação do paciente.

Asma

A asma é uma doença que inflama pulmões e vias aéreas, dificultando a passagem de ar e ocasionando tosses. Doença respiratória crônica, ela tem causadores desconhecidos, podendo ser desencadeada tanto por fatores genéticos quanto ambientais, como mudanças climáticas. Apesar de não ter cura, possui tratamentos que são feitos com o médico especialista para aliviar os sintomas.

Bronquite

Causada por outras doenças comuns no inverno, como resfriados e gripes mal curadas, a bronquite é uma inflamação nos brônquios. Causa tosse seca seguida de tosse com catarro, e pode ser classificada em dois tipos: aguda e crônica. O tratamento mais indicado pelo médico conta com analgésicos, hidratação e vaporizadores.

Alergias

Assim como a asma, as alergias também são doenças crônicas e estão entre as doenças de inverno mais comuns, pois afetam milhares de pessoas. As baixas temperaturas provocam diversas crises alérgicas. A doença é um reflexo intenso no organismo perante o contato com agressores ambientais, como os ácaros. Causam inúmeros sintomas, entre eles: espirros constantes, coceira nos olhos e garganta, olhos lacrimejados e tosse. O tratamento é bem específico e, por isso, é necessário primeiro determinar os fatores causadores para que o médico indique a melhor forma de prevenção.

Rinite

A rinite é uma doença crônica e não tem cura. É a inflamação na mucosa que reveste o nariz, provocando sintomas típicos como coriza, coceiras na região do rosto e espirros. Causada por reações alérgicas, ela é geralmente provocada por poeira, ácaros, pelos de animais ou alterações climáticas. O tratamento da doença ajuda a minimizar e controlar seus sintomas. Antialérgicos e muita hidratação são algumas das formas para tratar a doença.

Otite

Bastante comum em crianças, mas também pode surgir em adultos, a otite é uma infecção causada por vírus e bactérias provocadas pelas principais doenças de inverno: gripes e infecções na garganta. Os vírus ou bactérias atacam a garganta e migram até o ouvido, causando dores e febre. O tratamento é feito com analgésicos e antibióticos, além da prevenção, que pode ser feita com a limpeza nas vias aéreas com soro fisiológico.

Amigdalite

A amigdalite acomete os órgãos de defesa localizados próximos da língua e, por isso, pode causar dor ao engolir, manchas brancas com pus nas amígdalas, calafrios, dificuldade para dormir, perda de peso, entre outros. Causada por vírus ou bactérias, ela é uma doença que acomete tanto adultos quanto crianças. Pode ser crônica, aguda, viral ou bacteriana. Por isso, é de suma importância o diagnóstico médico para que ele indique o tratamento mais adequado.

Saiba como prevenir as principais doenças de inverno

Para que você possa aproveitar melhor da estação mais fria do ano, algumas práticas simples podem ajudar na prevenção das principais doenças de inverno. Veja:

Evite ambientes fechados

Locais sem circulação de ar favorecem a transmissão de vírus e bactérias. Por isso, evite a permanência nesses tipos de ambientes ou prefira sempre abrir janelas e portas.

Beba muito líquido

No frio, é comum sentirmos menos sede e diminuirmos o consumo de água. Como ficamos mais expostos às doenças propagadas pelo ar, boca seca, pele e narinas ressecadas se tornam porta de entrada para vírus e bactérias.

O indicado é beber, pelos menos, 2 litros de água por dia, evitando assim, essas doenças.

Lave bem as mãos

Para reduzir os contágios das doenças de inverno, manter as mãos sempre limpas é fundamental. A higiene deve ser feita após ir ao banheiro, antes e depois das refeições, ao segurar algum animal ou objeto compartilhado por alguém infectado, ao espirrar ou tossir, entre outros. Também é recomendado utilizar álcool em gel para desinfecção das mãos.

Banner Wellmune

Consuma vitamina C

Para fortalecer o sistema imunológico, o consumo de vitamina C é fundamental, por se tratar de um poderoso antioxidante que protege as células de danos provocados por radicais livres. Possui propriedades antivirais, antibacterianas e antialérgicas.

De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a deficiência de vitamina C pode causar fraqueza muscular e anemia, já que a vitamina contribui para a absorção de ferro de maneira significativa. Também causa enfraquecimento do sistema imunológico, favorecendo o surgimento de resfriados e gripe mais frequentes e fortes. Os cabelos se tornam quebradiços, fracos e secos, bem como a nossa pele, que resseca e sofre rachaduras.

Além disso, a vitamina C reduz os sintomas da gripe e ajuda o corpo a se recuperar mais rápido das doenças de inverno. Portanto, inclua fontes desta vitamina em sua dieta alimentos como frutas cítricas, acerola, goiaba e kiwi. Você também pode obtê-la através de suplementação com Vitamina C + Minerais que possui em sua composição, além da vitamina C, outras vitaminas e minerais que possuem a função de fortalecer o sistema imunológico.

Vacine-se contra a gripe

Para proteger o corpo contra os principais vírus que causam a gripe, a vacinação anual contra a gripe é mais que recomendada.

Ela é importante para pessoas que possuem riscos maiores para o desenvolvimento de quadros mais graves de gripe e pneumonia, como crianças, gestantes, idosos, diabéticos e portadores de doenças pulmonares e cardíacas.

O Sistema Único de Saúde (SUS) libera as doses da vacina gratuitamente em postos de saúde de todo país para:

  • crianças  de 6 meses a 5 anos incompletos de idade e seus pais;
  • gestantes, puérperas (mulheres no período de até 45 dias após o parto);
  • idosos com mais de 60 anos;
  • profissionais da saúde;
  • portadores de doenças crônicas (como diabetes, asma, hipertensão, bronquite, obesidade, ou com doenças que comprometam a imunidade);
  • professores de escolas públicas e privadas.

A imunização protege contra três sorotipos do vírus da gripe: Influenza A, H1N1 ou  H3N2 e o Influenza B. É importante ressaltar que bebês com menos de 6 meses e pessoas alérgicas a ovo não devem tomar a vacina para evitar seus efeitos colaterais.

Por falar nisso, apesar de ser produzida a partir do vírus inativo da doença, a vacina não provoca gripe. Esse é um grande mito! Em alguns casos pode ocorrer dor no local da aplicação da vacina, vermelhidão ou inchaço.

Aposte em produtos naturais

Alguns produtos naturais contribuem para fortalecer nosso sistema imunológico. A Equinácea (Echinacea purpurea) é uma planta que apresenta compostos fenólicos que aumentam a atividade e número de células imunes. Age como um imunoestimulante do organismo, reduzindo o risco de aparecimento de infecções recorrentes, como gripes e resfriados. Estudos demonstraram que a Equinácea possui atividade antifúngica, antibacteriana, antiviral, antioxidante, anti-inflamatória, antigripal e anticancerígena.

O Wellmune WGP™ é um carboidrato natural, originário da parede celular de cepas exclusivas e patenteadas de Saccharomyces cerevisiae, que promove o fortalecimento do sistema imunológico. Possui ação comprovada na melhora da saúde física e na redução de sintomas de infecções respiratórias. Também auxilia a reduzir os efeitos nocivos do stress e melhorar o vigor físico.

Com essas simples atitudes, você mantém as doenças de inverno longe e ainda aproveita ao máximo da estação com saúde e bem-estar!

Gostou das dicas? Então assine a nossa newsletter para saber mais sobre saúde e qualidade de vida!

 

Baixar Ebook Imunidade

 

por Fernanda Satlher

Diretora da BS Pharma, ciclista, mãe e adora escrever artigos. Farmacêutica industrial graduada pela UFMG com 22 anos de experiência e pós-graduada em Farmácia Magistral Pela UNESP- Araraquara. Gestora de projetos pelo IBMEC - MG.